Todo mundo sabe!





Crônica publicada no Jornal do Cambuci & Aclimação
Julho 2011.

-------------------------



– Cesar, você comprou o presentinho pro nenê da Ana?

– Comprei e já dei, ela adorou!

– O que-que você comprou?

– Uma botinha de veludo, bem bonita.

– Hum, que lindo! Que cor?

– Lilás.

– Lilás!? Mas Cesar, lilás é pra menina, e você me disse que ainda não se sabia o sexo...

– Sim, mas Lilás é neutro. Serve pra qualquer sexo.

– Quê? Quem te falou isso?

– Ninguém, mas é óbvio. Azul, menino. Rosa, menina; o resto é livre.

– Que besteira! Lilás é pra menina, Cesar, todo mundo sabe.

– Como, todo mundo sabe? Todo mundo quem?

– Ué, todo mundo, todo mundo.

– O que todo mundo sabe é que cor de menino é azul e de menina rosa. Sobre o resto das cores ninguém nunca disse coisa nenhuma!

– Não, não. Lilás é pra menina. E todo mundo sabe disso.

– Nunca ouvi falar nisso! Onde é que tá escrito?

– Não está escrito, Cesar, mas isso já é uma coisa pré-estabelecida.

– Pré-estabelecida! Pré-estabelecida por quem? Então isso é ciência? Cadê o cientista que inventou? Cadê as provas laboratoriais?

– Não sei, Cesar, mas todo mundo sabe disso, menos você, pelo jeito.

– Tá bom... E o amarelo?

– Amarelo é neutro.

– O quê? O amarelinho?! Aquela corzinha fraquinha, clarinha, quase gay, é neutra?! Pois devia ser de menina! E eu quero que você me apresente o palhaço que inventou esse monte de besteira!

– Olha, não adianta você ficar nervoso, não é culpa minha.

– E você vai querer me convencer que lilás, que é uma cor mais escura, de macho, quase um roxão, é cor pra menina?!

– É. Você pode até não gostar, mas é.

– Pois saiba você que a Ana, que é a mãe, não acha! Arará! Ela adorou e disse que serve pra menino e pra menina.

– Ela disse isso?! Ela disse que serve pra menino e pra menina?

– Disse. Tá vendo só?

– Pronto, taí a prova!

– Prova, que prova?

– Cesar, ela não teria dito isso, assim do nada, se não fosse pra te agradar, já que ela sabe muito bem que lilás e de menina, percebe?

– Mas...

– Olha, não fica triste, vai? A gente vai é torcer pra nascer uma menina e poder aproveitar a botinha lilás, tá bom assim?



Cesar Cruz
Julho 2011
.
.
.
.

9 comentários:

Cacá - José Cláudio disse...

Eu, como tenho uma dificuldade danada com cores, quando é o meu caso já vou logo pedindo bege. Dizem os (as) entendidos(as) que é a cor mais neutra que existe. rsrs. Abraços, Cesar e uma ótima semana. Paz e bem.

Xara disse...

"Lilás" é MENINA, também não sabia, aprendi lá na loja, é uma espécie de "ciência popular" é nem pense em contestar, principalmente com as mulheres, lá na loja quando tem tênis com algo lilás/roxo, homem nem pergunta, já dispensa, se pergunta, não aconselho, falo que "tende" mais para mulher, senão, leva e depois nunca mais volta pra comprar....ahahha...
lembra daquela música? "vivendo e aprendendo a jogar..." é isso aí meu amigo.

xara - ipiranga - sp-sp
abcs a tds.

obs: pode ter certeza, ela falou que servia para não lhe magoar...rs

stheffania disse...

bem lilas é mais feminino mesmo , principalmente para botas , se fosse blusa ai tudo bem menina e menino mas bota não fica muito macho mesmo nãoo rsrsrrssrs

Marcelo Lopes disse...

Fala Cesinha,

Esquenta não, cara.
Incontestavelmente, nossa parte é escolher a cerveja e a carne para o churrasco, disso não podemos abrir mão, nunca!

...mas, jura que você não sabia? rsrs

Grande abraço!

Pedro Luso disse...

Cesar,

Vou ficar com as duas correntes: a do Cacá e a do Marcelo; apenas com a ressalva quanto a cor do Cacá, pois ao invés de beje, eu peço marrom.

E quanto a cerveja e a carne pro churrasco, do Marcelo, todos estamos de acordo. E quem não está?

Um abração,
Pedro.

Sueli Gallacci disse...

Cesar!

Cientificamente falando (rsrs), lilás é o resultado da mistura do rosa + azul, portanto, está 'no meio'. Mezzo a mezzo, capita? rsrs.

Agora, a interpretação fica para a imaginação de cada um... rsrs

Grande abraço.

Anônimo disse...

E ai César! Faz um tempo que não visito seu blog. Mas vim te ver. E como sempre adorei a crônica. Sempre riu muito lendo seu blog. Algumas vezes choro. Você e capaz de provocar esse tipo de. Coisa! Parabéns! Um forte abraço!

Anônimo disse...

Não entendo essa necessidade que você tem em insistir relacionar gay com fragilidade. Tenho muitos amigos gays e te afirmo que nenhum deles tem jeito de "mocinha". São homens de verdade.
Brenno Scnneider

Gabriel Fernandes disse...

Só diálogo. Muito bom. Coitada da Van! Abraço.